Entrevistas

O brasileiro tem que se abrasileirar

Mestre Camisa
Escrito por Luciana Barreto

Mestre Camisa, a Capoeira e a Década do Afrodescendente.

O mês de agosto promete ser grandioso para a capoeira. O Rio de Janeiro vai receber a décima edição dos Jogos Mundiais com uma grande festa. É que em 2015, o anfitrião, Mestre Camisa, vai comemorar 60 anos. E, claro, a data vai reunir representantes de todos os continentes. Para celebrar, virão 60 mestres de 50 países. O presidente fundador da Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira (Abadá) é um dos mais respeitados mestres de capoeira do mundo e decidiu utilizar todo este prestígio para comemorar a Década Internacional dos Afrodescendentes, instituída pela Unesco em 2015, com o tema Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento.

(1) Mestre-Camisa

(1) Mestre-Camisa

Além dos Jogos Mundiais, a festa, que ganhou o nome de Campanha Abadafro e será realizada de 21 a 23 de agosto, inclui um Cortejo Afro. Representantes de manifestações culturais afro do Brasil, como Jongo, Tambor de Crioula, Afoxé Filhos de Gandhi,  se unirão a representantes de países do continente africano como Angola, Congo, Cabo-Verde, Guiné-Bissau e África do Sul para percorrer o Circuito Histórico e Arqueológico do Rio. Será a maior visita ao passado no Cais do Valongo e da Imperatriz, Pedra do Sal, Jardim Suspenso, Largo do Depósito, Cemitério dos Pretos Novos e Centro Cultural José Bonifácio. “Vai ser uma reflexão do momento que estamos passando”, explica Mestre Camisa.

Esse baiano, morador do Rio de Janeiro desde 1972, consegue falar sobre qualquer tema com docilidade. Mestre Camisa é dessas pessoas que sorri entre uma frase e outra. Mesmo quando o tema é difícil de ser tratado, como o racismo. Ele é inteligente e perspicaz. Não é à toa que vive viajando para ensinar. Visitou mais de 60 países, de todos os continentes. Em 2011, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Uberlândia.  Vamos lá! Palavra de mestre.

(2) Mestre Camisa

(2) Mestre Camisa

LB: O senhor já teve um aniversário assim?

Mestre Camisa: (risos) Minha vida está entrelaçada com a capoeira. Sempre tem comemoração. Eles querem fazer esta festa pra mim… (risos) Vou aproveitar e rever os amigos. Vai ser um momento muito importante de valorização da cultura e de exigir reparações.

LB: O que significa este “momento importante”?

Mestre Camisa: É um momento de discussões. Temos que desmascarar o racismo que existe nas pessoas. É melhor para o Brasil. Enquanto o Brasil não valorizar e reconhecer tudo que os negros contribuíram com esse país, na economia, na cultura, o Brasil não vai ser feliz.

LB: Onde entra a Capoeira nisso?

Mestre Camisa: A Capoeira se tornou Patrimônio da Humanidade *justamente por respeitar essas diversidades. A Capoeira respeita opção sexual, etnia, religiosidade, nível educacional. A Capoeira não discrimina. É o homem lutando pela liberdade, igualdade de direitos, de oportunidades. Nós estamos dando continuidade à luta de muitos. A existência da Capoeira é mais importante que o próprio jogo.

*Em Novembro de 2014 a Organização das Nações Unidas para Ciência e Cultura (Unesco) declarou a Roda de Capoeira como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

LB: O senhor é à favor da Capoeira virar esporte olímpico?

Mestre Camisa: É importante chegar à Olimpíada. Não deixa de ser. Mas antes temos que colocar a Capoeira nas escolas, nas universidades. Os mestres precisam ser reconhecidos. Há muita coisa pra se fazer antes. Tem que existir entendimento interno entre os mestres. Tem que se falar uma mesma língua. Tem que haver uma nomenclatura e um consenso.  Você já parou pra pensar?! Nenhum esporte olímpico ou arte marcial é Patrimônio da Humanidade. A Capoeira é.

LB: O Brasil valoriza a Capoeira?

Mestre Camisa: A ginga brasileira está no futebol, no samba e na capoeira. Mas no futebol parece que desapareceu depois do 7 a 1. A ginga sumiu quando o futebol foi se afastando da raiz e se aproximando do esquema europeu. Mas a ginga da capoeira permaneceu. Não precisava que todos os brasileiros jogassem capoeira. Mas precisávamos que todos soubessem o que é Capoeira. O brasileiro tem que se abrasileirar.

(3) Mestre Camisa

(3) Mestre Camisa

Referências Fotos: ( Capa: Minaris Photo(1) Site(2) Site(3) Site )

Brazilians have to Brazilianize

Master Camisa, Capoeira and the Afro-descendant Decade.

The month of August promises to be a great one for capoeira (a Brazilian dance of African origin that incorporates martial arts movements). Rio de Janeiro will host the tenth edition of the World Games with a big celebration. Also, in 2015, the host, Master Camisa, is celebrating his 60th birthday. And, of course, the date will bring together representatives from all continents. They expect, for this event, 60 teachers from 50 countries. The founding president of the Association for Support and Development of Capoeira Art (Abadá), one of the most respected in the world of capoeira masters, decided to use all his prestige to commemorate the International Decade of African Descent, established by UNESCO in 2015, with the theme “African descent: recognition, justice and development”.

In addition to the World Games, there will be a party, which was named Abadafro Campaign, and that will be held from August 21 to 23, including an African Parade. Important African cultural manifestations of Brazil, such as Jongo, Creole Drum and Afoxé Filhos de Gandhi, will be joined by representatives from African countries such as Angola, Congo, Cape Verde, Guinea-Bissau and South Africa to go through the historical Archaeological Circuit of Rio de Janeiro. It will be the biggest visit to the past at the Valongo’s and the Empress’s Wharfs, do Sal Stone, Hanging Garden, Depot Square, the New Blacks Cemetery and the Cultural Center Jose Bonifacio. “It will be a reflection of the times we are going through,” said Master Camisa.

This man from the state of Bahia, a resident of Rio de Janeiro since 1972, can talk about any topic with docility. Mestre Camisa is a person who always smiles while talking, even if the subject is one difficult to talk about, such as racism. He is smart and insightful. No wonder that he is traveling to teach. He has visited more than 60 countries from all continents. In 2011, was awarded the title of Doctor Honoris Causa by the University of Uberlândia.

Let’s hear the Master own words:

LB: Have you ever had a birthday like this?

Mestre Camisa: (Laughs) My life is intertwined with capoeira. There are always celebrations. They want to make this party for me … (laughs) I will enjoy it and take the opportunity to see my friends. It will be a very important moment of appreciation of culture and demand reparations.

LB: What does this “important moment” mean?

Mestre Camisa: It is a time of discussion. We have to expose the racism that exists among our people. It is good for Brazil. While Brazil does not appreciate and recognize all that the blacks have contributed to this country, to its the economy, its culture, Brazil will not be happy.

LB: What does capoeira have to do that?

Mestre Camisa: Capoeira became a UNESCO World Heritage* just because it respects these differences. Capoeira regards sexual orientation, ethnicity, religion and educational level. Capoeira does not discriminate. It is the man fighting for freedom, equal rights and opportunities. We are continuing the struggle of many. The existence of capoeira is more important than the game itself.

* In November 2014 the United Nations for Science and Culture (Unesco) declared capoeira as an Intangible Cultural Heritage of Humanity.

LB: Are you in favor of capoeira to become an Olympic sport?

Mestre Camisa: It is important to get to the Olympics. It is a sport. But before that, we have to bring capoeira to our schools and our universities. The teachers need to be recognized. There is a lot to do beforehand. There must be internal understanding among teachers. You have to speak the same language. There has to be a harmony in naming and a consensus. Have you ever stopped to think about that?! Any Olympic sport or martial art that is a World Heritage. Capoeira is.

LB: Does Brazil value capoeira?

Mestre Camisa: The Brazilian swing (ginga) is in soccer, samba and capoeira. But in soccer it seems to have disappeared after those 7 to 1 against Germany. The ginga disappeared when soccer was moving away from its roots and approaching the European style. But the capoeira ginga remained. It is not necessary for all Brazilians to practice capoeira. But we needed everyone to know what capoeira really is. The Brazilians have to brazilianize.

Sobre a Autora

Luciana Barreto

1 Comentário

Deixe um Comentário